• Semear transformações emancipatórias, articular conhecimentos contemporâneos e ancestrais, em compromisso com o território.
  • Buscar a horizontalidade e fortalecimento da autonomia nas relações. Protagonismo, consciência do papel na sociedade, de si e para o coletivo.